sexta-feira, 1 de maio de 2009

Vital Moreira hoje, Mário Soares "ontem"


Vital Moreira foi agredido hoje na manifestação da CGTP.
(reacções no site do Expresso)
Reacção apressada e eleitoralista: Vital Moreira foi agredido pela CGTP e pelo PCP.
Também Mário Soares foi agredido há anos, numa campanha eleitoral, em visita à Marinha Grande.(14 de Janeiro de 1986, quando disputava a segunda volta das presidenciais com Freitas do Amaral).
Também aí se disse de imediato que os agressores eram o PCP e os comunistas.
Sou contra a violência, mesmo contra figuras que me são pouco simpáticas como é Vital Moreira.
Mas sou também contra o aproveitamento que os agredidos pretendem fazer das "bárbaras" agressões de que são alvo (nas imagens de hoje - não vi todas - vi umas camisas molhadas e pouco mais).
Quer Mário Soares na Marinha Grande quer Vital Moreira hoje em Lisboa estavam "a pedi-las".
Há milhares de portugueses em desespero. Sem trabalho. Sem dinheiro.Com fome. Na miséria.
Sem qualquer perspectiva de futuro.
Não é "aceitável" mas percebe-se que alguém perca a cabeça na presença de "apoiantes do povo de ocasião".
Não me lembro de ver Vital Moreira durante todos estes anos nas manifestações do 1º de Maio.
Porque foi lá hoje? Só porque foi convidado? Não terá ido porque dava jeito? Por questões meramente eleitoralistas?
É obvio que sim. E mesmo assim tinha todo o direito a lá estar.
Nao tem é agora o direito de dizer que foi agredido pela CGTP e pelo PCP.
Foi agredido por manifestantes afectos à CGTP. Poderiam ser comunistas ou não.
Mas mesmo que sejam comunistas, não representam certamente o PCP.

15 comentários:

Maninha disse...

Levou uns cuspos e uns safanões. podia ter sido pior, porque o desespero é grande. ainda somos uns bárbaros moderados...

Anónimo disse...

A ingenuidade tem limites.
É óbvio que foram os comunistas o seu braço sindical, a CGTP!

Tibério Dinis disse...

Caro Fiat,

concordo na parte do aproveitamento, da mesma forma que aproveitamento das outras forças políticas a dizer que há aproveitamento mesmo quando não há aprovitamento.

Quanto à ida de Vital Moreira ao 1º de Maio, uma coisa é ir quando somos anónimos outra é quando somos candidatos, é a questão de visibilidade.

p.e. se o fiat se candidatar à câmara do seu conselho, pode ir a uma festa que até costuma ir todos os anos que não se livra de ouvir: "olha aquele está aqui para sacar o voto".

Aproveito para dizer que é igual com os cumprimentos, p.e.

se passar um político na rua e não nos cumprimentar dizemos: "olha o sacana tem a mania que é importante, tá agora no tacho nem liga nenhuma"

se passar o político na rua e vier cumprimentar dizemos: "olha o gajo quer é parecer popular e quer sacar-me o voto"

Haja Saúde

Tibério Dinis disse...

concelho com C

Tibério Dinis disse...

Ah quanto há origem, é óbvio que foi malta do PCP, a palavra "traidor" diz tudo.

Rui Rebelo Gamboa disse...

Não esquecer também o Francisco Assis, penso que em Felgueiras, aqui há uns anos. Assis, Soares e Moreira [agora] que têm em comum?

Estou completamente de acordo com o post. O Vital Moreira, tal e qual malta aqui nos Açores, virou as costas a tudo que acredita e comportou-se como um jogador de futebol: faz carreira num clube mais pequeno, à espera da transferência para um grande.

Caro Tibério,
Penso que é um bocada arrojada a comparação que fazes. Uma coisa é forma como as pessoas olham para alguém que, a dada altura, é candidato, outra coisa completamente diferente, é a forma como ex-colegas de ideais olham um fulano que os atraiçoa. Há aí um pormaior que faze toda a diferença nas possíveis reacções.

Por fim, uma coisa que me faz sempre muita espécie é associar estas manifestações, seja da CGTP, seja dos professores, seja do que for, ao PCP. Que diabo, se aquela malta fosse toda do PCP, então os resultados nas eleições teriam de ser completamente diferentes, ou não?

Fiat Lux disse...

Caro Tibério

segundo leio agora no Público on line (que transcreve palavras de uma socialista que presenciou as "bárbaras agressões")

o grupo "foi perseguido por alguns manifestantes que “atiraram água” e lançaram “insultos muito fortes, mesmo ofensas pessoais”.

Realmente há insultos muito fortes e ofensas pessoais que doem mais que um soco no estômago.

A origem óbvia é isso mesmo: "óbvia".
Mas mesmo que tenham sido só comunistas a chamar nomes e atirar água ao grupo de Vital Moreira, isso não faz do PCP o agressor.
Este é o meu ponto de partida.
Na minha opinião se ficarmos pelo (demasiado) óbvio, a discussão fica distorcida à nascença.

Caro Rui

inteiramente de acordo.
Quando há grandes greves o governo gosta muito de menosprezá-las e dizer que são os comunistas.
É óbvio (aqui sim é mesmo óbvio) que não são todos comunistas.Queria o PCP que assim fosse.

Cumprimentos

P.S. O Francisco Assis foi agredido por quem? Não foi pelos seus camaradas do PS? Ou eram também os malandros dos comunistas?

Anónimo disse...

"Foi agredido por manifestantes afectos à CGTP. Poderiam ser comunistas ou não."

Desculpe mas esta é a maior anedota que eu já ouvi no Séc. XXI.
O Vital (de quem eu não gosto, por causa dos Açores) é livre de pertencer/concorrer pelo partido que bem entender. O PCP é que NÃO é livre de coartar a LIBERDADE a ninguém. Vivemos em democracia e o PC ainda não aprendeu isso.
Salazar é que tinha razão. Deportem essa gente para a Sibéria, que isso aqui é Portugal.

Fiat Lux disse...

Este último comentário é daquele anti-comunismo (mais do que) primário que eu julgava já não existir.
As pessoas não são "boas" ou "más"
porque "são" comunistas ou socialistas ou centristas ou de direita ou de esquerda.
Na manifestação de ontem participaram certamente muitas pessoas "boas" e outras menos "boas".
Tal como na manifestação da UGT.
As "bárbaras" agressões de que Vital Moreira foi alvo podem ter sido por comunistas com as quotas em dia, por simpatizantes comunistas, por sindicalistas da CGTP.Parece óbvio que isso tenha acontecido. Mas o óbvio nao é nenhuma ciência exacta.
O PCP foi dos paridos portugueses que mais lutou para que vivessemos hoje em democracia e liberdade.
O Vital Moreira sabe isso muito bem.
Melhor que o anónimo pelos vistos.

Anónimo disse...

Caro Fiat
O Dr. Vital Moreira é livre de concorrer por muito bem entender. Vivemos num país de liberdade.
Se não lhe deram a oportunidade que ele naturalmente considerava justa no seu partido inicial, porque é que não pode dar o seu contributo noutro partido que lhe garante isso?

Anónimo disse...

Graças ao espirito de Abril, o Sr. Vital Moreira tem o direito de se manifestar e andar por onde muito bem entender no espaço público, sem ser importunado pela PIDE/DGS, por gente de partidos e por sindicalistas da CGTP.

Não será assim?

A revolução de Abril não se cumpre, enquanto houver neste país gente deste tipo, que pensa ser dona da verdade e trata desta forma quem pensa ou tem atitudes diferentes.

Tiago R. disse...

Sobre a posição do PCP em relação a este assunto, leiam: http://www.pcp.pt/index.php?option=com_content&task=view&id=33791&Itemid=195

Nada como estar informado antes de falar!

Caro Fiat:
Como sempre nos seus posts: lucidez, honestidade, coragem.
Subscrevo a 100%.

garganta funda.... disse...

O candidato Vital envergonhou um país inteiro.

Fez este "número" só para os "takes" das televisões.

Este indíviduo é intelectualmente desonesto e de baixo nível.

Alguém se lembra qual era a posição do candidato Vital aquando do cerco da Assembleia Constituinte?

Alguém se lembra das declarações deste indíviduo aquando do verão quente de 75, e em relação aos Açores e Açorianos?

Realmente o PC fez bem em expulsar esta criatura pequenina, hipócrita e sem coluna vertebral!

Tibério Dinis disse...

Caro Rui,

não faz sentido em falar em traição, da mesma maneira que é errado colocar em cheque alguns que mudam de partido. Os próprios partidos são mutáveis e as pessoas que os incorporam também. É normal que um militante de há 30 anos de qualquer partido não se reveja hoje. Os partidos têm sufrido alterações profundas do ponto de vista da ciência e filosofia política. As pessoas em si também sofrem alterações, ora quando há dois polos mutáveis é normal haverem alterações. Pelo que não nem justificação, nem uma atenuante ao comportamente.

Quanto à colagem das manifestações e da CGTP ao PCP, temos que ser claro, há uma ligação, se é total ou parcial não sei, mas há dirigentes comuns e até há meios de comunicação comuns. O PCP teve sempre mais força de rua que expressão eleitoral, são coisas completamente diferentes. Da mesma que o PSD tem expressão eleitoral, mas não tem expressão de rua.

Caro Fiat,

eu não disse que foi o PCP instituição o agressor, "foi malta do PCP" foi o que escrevi. As palavras proferidas vão neste sentido, agora se o PCP é obrigado a pedir desculpas? Claramente que não. Agora se eu liderasse um partido qualquer e soubesse que militantes do partido que lidero tinham tido este comportamento, claro que condenaria e pediria desculpa na medida que tenho responsabilidades. Não é exigido ao PCP um pedido de desculpas, mas ficava bem e secalhar ganhava mais com isto.

Já à CGTP é exigido o pedido de desculpas, afinal aconteceu numa actividade da CGTO, se qualquer um de nós fosse agredido numa actividade de uma organização seria exigido o pedido de desculpas.

Haja Saúde

Tibério Dinis disse...

Só uma adenda, não gosto de Vital devido às posições que tomou relativamente aos Açores, mas há um assunto importante nesta problemática.

Quando se fala que os melhores do país não estão na política e estão nas universidades ou empresas. Quando assistimos a cenas destas é normal que os cérebros do país não querem entrar na política.

As universidades são locais onde os professores são muito respeitados e detêm enorme prestigio, conheço bem a faculdade de direito de Lisboa e há professores que dizem que não se metem na política porque serão desrespeitados, insultados - ou agredidos como é o caso - deixam de ter vida privada e ainda para mais ficam a perder dinheiro.

Não tenhamos dúvidas qualquer catedrático de uma universidade de prestigio deste país só vai para a política se tiver sentido de servir o país ou se for estúpido. Perdem mais do que ganham, quer a nível pessoal quer patrimonial.

Vejam o caso do Prof Jorge Miranda, saiu da política há anos e agora por causa de uma teima de MFL é notícia e alvo de gozo e humor. Nós enquanto país só temos a perder, depois somos governados pela segunda linha de dotados deste país.

Haja Saúde