quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

O homem do gás

Recentemente, a ilha do Corvo sofreu uma ruptura de gás.
O que não se percebe -apesar do mau tempo - pois parece que a ilha dispõe de uma reserva...de gás.
Parece que uma pessoa do Corvo, que é paga para contar as garrafas ... não sabe contar!?
O assunto foi debatido, ao mais alto nível, na Assembleia Regional.
Paulo Estêvão, do PPM, que não é natural do Corvo, mas foi eleito e reside no Corvo, queixou-se da situação.
Guilherme Nunes, do PS, que também foi eleito pelo Corvo, de onde penso que é natural, não se queixou.
Porque, diz ele, tem sempre em casa 6 (seis!?) garrafas de gás.
[Aprende Paulo Estêvão, que o homem não dura sempre.]
Mas quando se fala do Corvo, hoje em dia, para estarmos bem informados, temos que consultar o melhor órgão de informação da ilha, o blog que faz uma mistura explosiva (afinal falamos de gás) com mulheres de má fama e vinho de cheiro :)
Ora, segundo dois comentários colocados naquele blog o deputado Guilherme Nunes nunca deveria ter 6 (seis !?) garrafas de gás no Corvo.
- Porque vive sozinho !?
- Porque ... não vive lá !!!!????
Se isto é verdade, o sr. deputado merecia ficar um mês a tomar duche em água fria.
P.S. Para quem, há tempos, fugiu dos cornos do toiro, agora teria sido uma boa ocasião para se recolher aos curros. Porque diabo é que o sr. deputado quis entrar nesta faena se corria o risco de sair pela porta baixa?

2 comentários:

Jordão disse...

Ao ponto a que isso chegou!

Problema é que houve alguém que votou nele. Ou melhor, alguns, mas também não foram assim muitos.

maldosacores disse...

O sistema eleitoral dos Açores necessita de uma revisão séria. Além disso, o número de deputados regionais é execessivo para a dimensão da nossa região e para a população da mesma.