quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Obscenidades


O PS estima gastar 5,54 milhões de euros com a campanha eleitoral para as eleições legislativas, (3,13 milhões de euros de subvenção estatal, 1,81 milhões de contribuição do partido e 600 mil euros de donativos e angariação de fundos). O PSD prevê gastar 3,34 milhões de euros (2,85 milhões de subvenção estatal, 350 mil euros provenientes do partido e 140 mil euros de donativos). A CDU (PCP/PEV) estima gastar 1,95 milhões de euros (cerca de metade, um milhão de euros, de subvenção estatal). O Bloco de Esquerda tem previsto gastar 993,8 mil euros (900 mil euros de subvenção estatal). O CDS-PP prevê gastar 850 mil euros (a maior parte do financiamento, 807,7 mil euros, proveniente da subvenção estatal, o restante de donativos e angariação de fundos).(jornal i)

6 comentários:

Jordão disse...

São noticias como essa e a do post debaixo que dão vontade de emigrar!

geocrusoe disse...

mas quando alguém propôs a fusão das duas próximas eleições num dia, porque gastar-se-ia menos dinheiro, aqui-d'el-rey que o presidente tá louco e os portugueses precisam de ser esclarecidos para votar!
Ao menos haveria contenção de reuniões, cartazes, jantares e coisas afins por falta de espaço e tempo...Os partidos e os políticos portugueses são o espelho deste povo, bem podem tratar mal os do primeiro grupo que no fundo é só para os últimos se sentirem aliviados na sua consciência. Se o povo castigasse o despesismo dos primeiros a sério algumas coisas poderiam ser diferentes, mas estão sempre à espera de uma migalha vinda de forma algo estranha para também deixarem tudo na mesma

Menina da Rádio disse...

Desculpa, perdi-me logo nos primeiros 5,54 milhões...

João disse...

Faço minhas as palavras do Geocrusoe... só nos podemos culpar a nós próprios, a apatia que permeia toda a sociedade portuguesa dá nisto: impunidade.

pb disse...

E que tal fazermos uma revolução francesa à portuguesa?

Tiago R. disse...

Registe-se que a CDU é a que proporcionalmente depende menos do financiamento do estado, logo a que menos custa aos cidadãos.

E é assim que deve ser. Os partidos devem depender dos seus próprios militantes e não dos impostos pagos por todos os cidadãos!