sábado, 31 de outubro de 2009

Ontem já era tarde



Pelas trapalhadas recentes em que se meteu, e meteu o jornal, é caso para dizer que "ontem já era tarde".

Fala quem sabe



Foi neste Obama que "votei"


sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Como acabar com as "más línguas"


Carlos César não gostou do "estrelato televisivo" de Mário Freitas, Delegado de Saúde de S.Miguel, e calou-o.
Não o demitiu ... demitindo-o. Acabou com o cargo de Delegado de Saúde de ilha e criou, à pressa, uma coisa chamada " Coordenador Regional de Saúde Pública.
Depois desta demissão, a que é "obrigado" pela legislação que mandou aprovar, César tem pela frente mais um problema.
Depois das declarações de Eduardo Pacheco, da Ordem dos Médicos (aqui) tem o presidente do Governo alguma margem de manobra para mandá-lo calar também?
Como ? Acabando com a Ordem dos Médicos?

Capacidade de adaptação


No PSD cresce dia-a-dia o movimento que quer empurrar de novo Marcelo para a liderança.
Ele é um excelente comentador.
Mas falar sempre foi mais fácil que fazer.
Ele já foi líder do PSD, não foi? Correu mal. Mas agora é que é?
Todos têm de se adaptar a novas circunstâncias.
Todos têm de estar atentos a novas marés e novas oportunidades.
Continuo na minha: Marcelo é um excelente comunicador.
Mas essa não será certamente a qualidade que mais se exige a um líder.
(Cavaco tropeça na língua de forma angustiante e chegou a Primeiro Ministro e a Presidente da República).
Duvido que Marcelo seja o homem "certo" para transformar de novo o PSD num partido e não numa manta de retalhos.
Digo eu.
Que gosto muito de falar.
Mas falar é fácil.

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

O Paulus é meu !


Jorge Paulus Bruno, social democrata, já foi Director Regional da Cultura nos tempos de Mota Amaral. Agora vai ser de novo. Convidado por um Governo PS.
Berta Cabral aproveitou para dar a sua alfinetada. E justificava-se.
O Governo do PS tem recorrido com alguma frequência a figuras do PSD (o caso mais recente foi o de Álvaro Dâmaso à frente da APIA).
Berta disse que o PSD não se importava de ajudar o PS mas que queria os seus militantes de volta quando ganhasse as eleições em 2012.
Em suma, "emprestava" o Paulus até 2012.
Pareceu-me que o disse com algum humor e ironia.
Mas César não gostou e reagiu com dureza.
Demasiada dureza, na minha opinião.
Não se justificava.
( "Berta Cabral revela graves carências na sua formação democrática e uma grande arrogância, pretendendo dispôr da vida e das convicções das pessoas".)
Depois veio Clélio Menezes acusar César de nos seus tempos de oposição ser trauliteiro e de agora lhe estalar o verniz de vez em quando.
Não se justificava.
E de novo César a dizer que Berta Cabral falou como se o PSD pudesse ser proprietário das pessoas.
E,dando razão a Clélio Menezes, voltou a estalar o verniz quando interrogado sobre o seu tabuzinho (candidata-se ou não em 2012).
Respondeu César:
"Eu sei que isso exercita muito a vossa imaginação e preocupa muito o PSD..."
Não se justificava.
É preciso ter muita imaginação (ou pouca?) para arranjar nesta nomeação tanta polemicazinha.
E tanto que há para fazer.

Overdose


Ia dizer "acabo de ver"...mas os minutos passam e continuo a ver no Telejornal uma catrefada de "notícias" sobre a gripe A. (Já contei oito...e um directo!?).A quinta reportagem foi sobre a primeira morte ocorrida nos Açores.
Agora aparece Sócrates.
Diz que vai ser vacinado.
Agora são os deputados.
Uns que sim outros que não.
Já não se pode.
Ah...acabou.
Agora fala-se da cimeira dos 27.

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Carregadinho de razão


"Carlos César acrescenta muito ao Partido Socialista.
E vou-lhe dar um exemplo prático, que são as europeias.
Quando Carlos César não fez campanha - ele próprio -
e esteve ausente da Região, os senhores levaram uma derrota colossal.
Sabe porquê? Porque os senhores não têm credibilidade.
Sabe porquê? Porque o Partido Socialista vale 20 ou 25%
e os outros 20% vale carlos César".
Artur Lima, CDS-PP, dirigindo-se à bancada do PS na Assembleia Regional.

Jornal do Incrível

Só o título do Público já arrepia

Portugueses escravizados, roubados e acorrentados em quintas de Espanha

e a gente pensa logo em como é possível que nuestros hermanos nos façam isto.
Mas quando se lê a notícia com mais atenção ficamos a saber que

"Os carcereiros deste grupo ainda incontável de escravos (...) são três portugueses: pai, mãe e filho."

Carregadinho de razão

Alberto Costa: "O populismo ameaça a direita e a esquerda"

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Obscenidades


Brandão Ferreira, no livro Em Nome da Pátria, a ser lançado 4ª feira.

Isto não vai dar certo!

Ainda agora o Governo toma posse e já os arautos da desgraça dizem que "isto não vai dar certo". Este é um defeito bem português: falar antes do tempo. Geralmente para deitar abaixo. Que diabo, dêem o benefício da dúvida a essa gente. Uns mesitos pelo menos.

Acho que vou sugerir esta mania dos portugueses para o António Costa Santos incluir numa versão revista e aumentada do seu delicioso livrinho "10 razões para amar e odiar Portugal" (Editora Guerra e Paz).

Para ele as 10 razões para amar Portugal são

1.O país dos queixumes (a doença mínima garantida)

2. A falta de auto-estima (lá fora é que é)

3.O desinteresse pela cidadania (o Estado sao eles)

4.A resistência à mudança (não fossem mexer na Lua!)

5.A mania dos doutores (é a terra da mula ruça)

6.O caciquismo (ordens são ordens)

7.A burocracia (e se eu pagar urgência?)

8.O desprezo pelo rigor (para quem é bacalhau basta)

9.A inveja por desporto (olha a grande avaria!)

10. A impunidade da incúria (foi azar, paciência!)

e as 10 razões para amar Portugal

1.A tolerância e a delicadeza (dá-se um jeitinho)

2.O desenrascanço (não há problema!)

3.O voluntarismo (acho eu de que!)

4.O verbo arranjar (onde foi que arranjaste?)

5.A língua-pátria (o Camões é do caraças!)

6.A inocência (não acreditas?)

7.Hospitalidade e generosidade (não faça cerimónia!)

8.As nossa crianças (Ó menino, sai da chuva!)

9.Os comes e bebes (bebe-me aí essa pomada com o cozido!)

10.A paixão pelos versos (Ó Lua,que vais tão alta)

domingo, 25 de outubro de 2009

Um Pulido nada polido


Vasco Pulido Valente, Público
P.S. Estou para conhecer alguém mais azedo e insuportável que este frustrado. Um pobre coitado que não chega aos calcanhares de Saramago. Mesmo que o despreze desta forma abjecta.

Mais achas para a fogueira


José Saramago dá hoje mais uma entrevista, ao DN Artes, sobre a polémica em que está envolvido depois da publicação de Caim.
A entrevista é longa. As passagens para mim mais significativas foram estas:

As Cruzadas foram qualquer coisa que a Igreja devia pedir perdão! As Cruzadas, imediatamente idealizadas com esse absurdo de avançarem contra os inimigos aos gritos. Que sabem eles de Deus? Fiz essa pergunta a um teólogo há pouco tempo: o que é que sabem de Deus, afinal de contas? Não sabem nada, alguém um dia disse que Deus existe e depois os teólogos não têm feito outra coisa senão armar o andaime para que essa ideia se sustenha.

O facto religioso está aí, não se pode nada contra ele, e quando digo "acabar com as religiões", sou perfeitamente consciente de que isso não é possível. Mas a minha pergunta é esta: se crêem em Deus, crêem em um Deus. Portanto, até mesmo por respeito a ele, porque não se põem de acordo sobre uma palavra, simplesmente: paz? Paz entre as religiões.

(...) a confederação ibérica foi defendida no séc. XIX por muito boa gente como, por exemplo, Antero de Quental.

- Acha que este ataque imediato da Igreja foi uma tentativa de fazer um ensaio sobre a sua "cegueira" religiosa, ao afirmarem que é um livro unilateral?
- Porque é que dizemos cegueira religiosa? É uma cegueira que impede de ver a religião ou é a religião que cega as pessoas?

Tive a ingenuidade de supor que a Igreja Católica não se ia meter nisto, porque era o Antigo Testamento. Como digo, e eles não negam e as sondagens ou inquéritos confirmam, os católicos não lêem a Bíblia.

O que é que eu disse, afinal de contas?! Que na Bíblia há violência, crueldade, incestos e carnificinas? Isso não pode ser negado. Ainda que eu tenha chamado à Bíblia um manual de maus costumes, qualquer um o podia ter feito, porque é, efectivamente, o que é. Tudo quanto é negativo no comportamento humano está ali escrito.

Não nego a possibilidade de uma leitura simbólica [da Bíblia] , ou duas, ou três, ou quatro, ou cinco ou as que quiserem. Mas que as leituras simbólicas e o trabalho da exegese não sirva para fazer de conta que a letra não existe.

Logo na manhã seguinte já estavam todos alvoroçados a atacar-me! Apesar de terem uma experiência de séculos, podiam ser um pouco mais prudentes, mas são como os cãezinhos de Pavlov, reagem imediatamente ao estímulo. É lamentável.

Há que dizer que não invento nada, limito-me a levantar as pedras e ver o que está debaixo. Se acho que uma pedra merecia ser levantada, é, justamente, a do assassínio de Abel. E fi-lo.

(...) eu digo que Deus não é de fiar. O que é que se pode dizer de um Deus que depois de ter prometido a Abraão que se houvesse dez inocentes em Sodoma não queimaria a cidade e a queima? Podemos ter a certeza, qualquer um de nós, pobres seres humanos, que sabia - sem ir contar os inocentes - que havia inocentes: as crianças. Queimadas como os seus pais e mães, e tudo mais. O que é isso? Prometer e não cumprir?

sábado, 24 de outubro de 2009

O padre e o herege


(Nota prèvia: Não li a Bíblia. Não li Caim.)
Já vi o frente-a-frente José Saramago - Carreira das Neves.
E tirei as minhas notas.

Deus filho da p...

Não sabia que no livro se dizia que Deus era um filho da ....
Carreira das Neves, que leu o livro "com agrado", naturalmente nao gostou dessa parte.
José Saramago reconheceu que se tinha "excedido".

Alguns excertos do debate

Acreditar em Deus?

José Saramago:
- Não, mesmo que me esforce.
É uma impossibilidade.
Não sou capaz de imaginar.
Depois de ter criado o Universo e de ter descansado ao sétimo dia (Deus) continuou a descansar até hoje.
Há poucas esperanças de conhecer Deus, supondo que ele existe...
A verdade é que a única ocupação de Deus, que nós saibamos, foi fazer o Universo (segundo a Bíblia).
Antes não consta que tenha feito algo, e depois, somos testemunhas, pela história, de que não fez grande coisa, ou não fez nada.
(...) provavelmente, Deus se existisse teriamos que dizer, eu seria o primeiro, que não tenho nenhuma culpa daquilo que se passa.

Sobre a Bíblia

CN: - São imagens, personagens criadas...
JS: - Quem é que vos autorizou a mudar o que está escrito e a sobrepôr outra coisa?
CN: - Não é mudar... [Na Bíblia há] criações literárias para resolver problemas teológicos.
Só assim se compreende o mundo de Deus.
Não se entende o mundo de Deus pela filosofia, pela metafísica.
JS: - Mas a Igreja não sabe nada de Deus?
CN: - Deus vem pelo coração e não pela razão. Deus está por cima da razão, mas não é irracional.
JS: - Como é que o sabe?
CN: - Porque eu acredito. (...) Ninguém, é capaz de falar da existência de Deus à luz das ciências. Mas também ninguem é capaz de dizer que Deus não existe, à luz das ciências.

Sobre a renúncia à nacionalidade portuguesa

JS:
- O único pecado grave que tenho foi ter pensado que no futuro Portugal pode unir-se a Espanha. Que eu tivesse alguma vez dito que renunciava à nacionalidade portuguesa é falso como Judas. Nunca tais palavras me sairam da boca.

Direito à dissidência e à heresia

JS: - Na Declaração Universal dos Direitos do Homem faltam dois direitos: um é o direito à dissidência e o outro o direito á heresia.
CN: - Não há direito à heresia para si.
Você não acredita em Deus, não é heresia.
Você pode escrever o que quiser.
Heresia seria para mim

Comentário final:

O que mais me surpreendeu foi a insistência do padre Carreira das Neves que a Bíblia não pode ser lida literalmente. Que está cheia de imagens e de criações literárias.
Parece que a cada monstruosidade que surge na Bíblia se procura justificar como se tratasse apenas de uma imagem e de uma criação literária.
Se é assim, é a própria Igreja a minguar o real valor da Bíblia e não o herege Saramago.
Para criações literárias temos os escritores de ficção, como Saramago.
Não estava à espera que me viessem dizer que a Bíblia está cheia de criações literárias e imagens. Que, pelos vistos só nos levam a interpretar mal a mensagem da Bíblia !?
Por mim quero acreditar em Deus.
Dá-me jeito.
Como me considero uma pessoa minimamente honesta e cumpridora dos deveres, conforta-me a ideia de que, num outro tempo e lugar, serei eventualmente recompensado e não castigado por isso.
E que os "maus" irão todos pagar pelos seus "pecados".
Mas as dúvidas de Saramago são mais que legítimas.
E só vieram inquietar-me ainda mais.
Estava à espera que o padre o contrariasse com argumentos mais sólidos.
Mas não foi assim, e as minhas dúvidas aumentaram ainda mais.
O reconhecimento de que a Igreja nunca foi muito entusiasta da leitura da Bíblia fora da liturgia
é "mortal".
Deus me perdoe.

A nossa ministra é linda ! :)

Um beijo por 140 mil dólares !?


Obscenidades

Autárquicas
CNE destaca aumento de «casos obscenos» na lista de queixas que recebeu
As duas últimas eleições autárquicas motivaram quase o mesmo número de queixas à Comissão Nacional de Eleições, mas as de 11 de Outubro inovaram pelos «casos obscenos» e pela «sofisticação da publicidade indirecta», denunciou hoje o porta-voz daquela comissão


P.S. Diz que nos Açores também houve muita obscenidade. Que ficará impune?

Jornal do Incrível


sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Submarino ao fundo !


«Não tenho nada que me meter nos critérios de escolha do primeiro-ministro, mas não resisto a dizer uma das minhas, é que com o Santos Silva na defesa estou a ver a esquadra portuguesa toda afundada».

Alberto João Jardim comentando a indigitação de Santos Silva, o "ministro do malhão",para ministro da Defesa.

6ª, SIC, 20h00, o "combate bíblico"...

... entre José Saramago e o padre Carreira das Neves (teólogo que é considerado o maior estudioso português da Bíblia), num frente-a-frente moderado por Mário Crespo.
Para aguçar o apetite recordem as afirmações de ambos:

José Saramago:

"Sou ateu e sinto-me incapaz, mesmo fazendo um esforço mental, de acreditar em Deus, de me aproximar dessa sensação".
"Nunca tive qualquer dúvida sobre as consequências enormemente negativas e nefastas da existência das religiões, que inevitavelmente se opõem umas às outras".
"Matar, matar, matar. Foi isso que fizeram ao longo da história e não há nada a acrescentar ao seu historial sangrento".
"Ainda que não seja crente, a religião está no ar, respiramo-la. Não se pode ignorar".
"Até um livro sagrado como a Bíblia permite - e exige - que tentemos lê-lo por outro lado. E esse outro lado sempre rectifica as ideias que temos, assim como confirma outras".

"Nós, os homens, criamos Deus à nossa imagem e semelhança, não ao contrário. Por isso é tão cruel, má pessoa e vingativo. Deus e o demónio não estão no céu nem no inferno, estão na nossa cabeça. Primeiro criamos Deus e logo nos escravizamos a ele".

"A Bíblia é um manual de maus costumes, um catálogo de crueldade e do pior da natureza humana" (...) "Sem a Bíblia, um livro que teve muita influência na nossa cultura e até na nossa maneira de ser, os seres humanos seriam provavelmente melhores".
"Que Ratzinger tenha a coragem de invocar Deus para reforçar seu neomedievalismo universal, um Deus que ele jamais viu, com o qual nunca se sentou para tomar um café, mostra apenas o seu absoluto cinismo intelectual".
"As insolências reacionárias da Igreja Católica precisam ser combatidas com a insolência da inteligência viva, do bom senso, da palavra responsável. Não podemos permitir que a verdade seja ofendida todos os dias por supostos representantes de Deus na Terra, os quais, na verdade, só têm interesse no poder".

"Há incompreensões, já sabemos que sim, resistências também sabemos que sim, ódios velhos também sabemos que sim".
"Sou uma pessoa que desperta anticorpos em muitas pessoas, mas não me importo com isso, faço o meu trabalho".
"É quase um milagre que certos sectores tenham conseguido dizer tanto em relação a um livro [Caim] que não leram".

[Na Bíblia] "há crueldade, há incestos, há violência de todo o tipo, há carnificinas. Isto é indesmentível".
*************************
Carreira das Neves:

[Saramago] "escolheu um alvo, a Bíblia, não parando para pensar nos milhões de cristãos e católicos que ofende e maltrata".

"Saramago é um Gato Fedorento a brincar com a Bíblia".

«Não percebo como é que um homem com a carreira que [José Saramago] tem não leia a Bíblia como literatura, como cultura, como géneros literários. Isso é que me estranha muito, uma vez que a Bíblia começa por ser literatura, antes de ser fé, comunidade, religião, igreja».

«Porque é que ele não vê que há milhões de católicos, protestantes, ordoxos, a lerem a Bíblia, e não somos parvos, ou será que somos todos parvos?»
«José Saramago é excepcional como escritor. Para mim o José Saramago é um génio, agora se ele ultimamente anda a chatear a Igreja Católica, eu não percebo, na minha perspectiva ele é que está a perder».

«Estou a ler o livro dele e já vou a metade. Lê-se muito bem».
"Ele inventa o Adão, e a Eva e o Caim e o Abel à maneira dele. Pode fazer aquilo que ele quiser porque diz que aquilo é um romance» (...)«Não sei classificar. Para mim é uma sátira».

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

A Gabriela vai ser ministra !



Foto Filipe Pombo olhares.com

É uma das grandes surpresas. Gabriela Canavilhas passa de Directora Regional da Cultura para Ministra da Cultura.
Ricardo Rodrigues que era apontado ao Ministério da Agricultura ou Ministério da Justiça vê-se ultrapassado por Alberto Martins que vai ocupar exactamente a pasta da Justiça.

As caras do novo Governo.
E as biografias.

P.S. Desejo que Gabriela Canavilhas seja uma boa ministra.
Uma coisa é certa: é a mais bonita ministra da cultura de sempre.

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

José Saramago e José Mourinho: quando a arrogância é permitida


Detesto pessoas convencidas e arrogantes.
Dizem que José Saramago e José Mourinho são convencidos e arrogantes.
E no entanto eu não os detesto. Admiro-os!
Será porque são bons naquilo que fazem?
Acho que é por isso mesmo.
É que na verdade o que detesto mesmo são pessoas pequeninas e insignificantes que apesar da sua pequenez e insignificância... são convencidas e arrogantes.
Os nossos Josés têm motivos de sobra para se excederem por vezes.
Não vou crucificá-los por isso. A um génio tudo se perdoa. E eles são ambos "especiais".
Em vez de me envergonhar, como o outro (como é que ele se chama mesmo?) eu tenho orgulho em ser português e compatriota de Saramago (e de Mourinho, já agora). Mesmo que por vezes possa pensar também que eles exageraram. Eles podem. A matilha que lhes ladra ao caminho não tem pedigree para isso. Cresçam e apareçam. Até lá não façam como o eurodeputado (como é mesmo o seu nome?), reduzam-se à sua insignificância.

O último semanário ?


Embora não fizesse parte das minhas leituras é sempre pena quando se fecha um jornal, independentemente dos postos de trabalho que vão à vida.

Lisboa tem mais encanto...


Os padres e a "concorrência desleal"



Sim ... mas
têm toda a razão de ser as objecções levantadas aqui:

"Para o teólogo Peter Stilwell, a decisão é correcta ainda que um pouco "confusa". "Por um lado resolve a questão de fundo da falta de padres católicos e dos direitos das comunidades aos sacramentos, por outro, não é clara a excepção para alguns".

Para o bispo anglicano Fernando Soares "a decisão é bem-vinda" ainda que "estranha". "Como é que a Igreja Católica pode aceitar padre casados e não permitir que os seus não se possam casar?".

P.S. Há muito que entendo que os padres devem ser casados. Casados com uma mulher e não "casados" com as mulheres dos outros. Os padres são "concorrência desleal" para os outros homens. Porque têm acesso a informações privilegiadas. São as "escutas" a funcionar.
Ajoelhou ... tem que rezar. :)

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Olha o aprendiz de Sousa Lara (*)

Euro-deputado do PSD Mário David exorta Saramago a renunciar à cidadania portuguesa

Sousa Lara, que em 1992 era Subsecretário de Estado da Cultura, vetou o romance de José Saramago "Evangelho segundo Jesus Cristo" da lista dos concorrentes ao Prémio Literário Europeu.
Lara alegou que "a obra atacou princípios que têm a ver com o património religioso dos portugueses. Longe de os unir, dividiu-os."

Vai gozar com outro :)

Saramago é um Caim (*) ?



O livro Caim de Saramago e as suas declarações e entrevistas fizeram cair o Carmo e a Trindade. Até o Vaticano já entrou no barulho.
A minha reacção imediata seria a de ajoelhar e comungar da berraria geral que quer crucificar o velho e blasfemo escritor.
Mas ao ler Ferreira Fernandes, hoje no DN, voltam-me as dúvidas.
Saramago é mesmo um Caim (*) ou tem razão quando diz que "bom seria acabar com todas as religiões" ?
É que, se pensarmos bem, se colocarmos nos pratos da balança o bem e o mal das religiões talvez tenhamos alguma "surpresa".
Atire a primeira pedra quem não encontra em todas as religiões algumas pedradas bem mais feias.

(*) Em alguns locais da ilha do Pico, Caim era sinónimo de diabo, demónio.

Twittar ou não twittar eis a questão


segunda-feira, 19 de outubro de 2009

domingo, 18 de outubro de 2009

"Dia de S.Vapor" no séc.XXI (*)







Fotos gentilmente cedidas por um amigo do Fiat Lux :)
(*) Para quem não saiba o que era o "Dia de S.Vapor" aconselho o texto do Sr. Ermelindo Ávila no seu blog Notas do meu retiro

Quando é assim...


Ângelo Correia, ao Diário de Notícias

P.S. Ângelo Correia é um dos social democratas que me habituei a respeitar.
Já Pacheco Pereira, "a loira do regime", é um dos que me custa respeitar.

Jornal do Incrível


Os submarinos "de brincar" não têm pelo menos dois anos de garantia?

sábado, 17 de outubro de 2009

A greve da fome do Paulo Estêvão (durou, afinal, 61 horas) *


Foto Eduardo Resendes,Açoriano Oriental
Quem?
Paulo Estêvão, deputado do PPM, eleito pelo Corvo.
O quê?
Está em greve de fome.
Quando?
Teve início às 22h00 do dia 14 de Outubro.
Onde?
Na delegação do parlamento regional em P.Delgada.
Porquê?
Pela abertura de uma delegação da Assembleia no Corvo.

O meu comentário

A greve da fome de Paulo Estêvão tem suscitado sobretudo comentários que procuram unicamente fazer humor ("o deputado é gordinho e uma dieta só lhe vai fazer bem") ou desancar no protagonista ("o que ele quer é aparecer").
Acho, no entanto, que esta greve da fome, merece ser encarada também de forma mais séria.
- É ou não verdade que o Corvo é a única ilha sem delegação da Assembleia?
- É ou não verdade que o Estatuto da Região determina que deve haver delegações em todas as ilhas?
- É ou não verdade que o parlamento e o governo têm adiado sucessivamente a resolução deste "problema" (neste, como em outros casos, o parlamento não resolve nada sem ouvir o chefe, e o chefe chama-se Carlos César. Francisco Coelho vai fazer o que César lhe disser para fazer).
- É ou não verdade que Paulo Estêvão é dos deputados que mais têm criticado Carlos César e muitas vezes com razão (por exemplo quando César se ausenta durante meses dos debates no parlamento).
- É ou não verdade que há no Corvo imóveis total ou parcialmente desocupados onde, se houvesse mesmo vontade, poderia ser instalada a delegação da Assembleia?
Se as respostas a estas perguntas forem "Sim" (e são todas "Sim"), todos os outros argumentos têm que ser relegados para segundo plano (que Paulo Estêvão "quer é protagonismo", que quer é "fazer da delegação da assembleia uma sede do PPM no Corvo", que mesmo "não é preciso nenhuma delegação no Corvo").
P.S. Paulo Estêvão poderá terminar a greve da fome a todo o momento (segundo noticia o AO e a TSF). Nada do que ficou dito atrás deixa de ser verdade.
P.S.2 Paulo Estêvão terminou a greve da fome. Ouvi-o agora (13h00) na rádio a dizer que vai comer uma sopa. Greve da fome nunca mais.
(*) Afinal a greve parece que durou 61 horas e não 62 como ouvira inicialmente.
Espero que a sopinha tenha caído bem ao deputado.

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Jornal do Incrível


Louvado seja Deus!


Não o Deus Pinheiro.
Esse não tem nada que ser louvado.
Era o cabeça-de-lista por Braga e foi eleito à Assembleia da República.
Mas renunciou ao cargo alegando doença.
Diz quem sabe que a doença que tem é a que tinha quando se candidadou.
Diz quem sabe que Deus Pinheiro renuncia para dar lugar ao líder da JSD que ficaria fora do parlamento pelo facto do PSD ter descido a sua votação em Braga.
Louvado seja Deus.
Não o Pinheiro.
Esse merece que o mandem para outro lado.

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

A baba da Maitê - 2ª fase

A prova de que somos um povinho atrasado está aí.
A actriz fez um vídeo porco (até cuspiu numa fonte/monumento).
(Se aquilo é humor eu sou o Badaró).
Quem tem sentido de humor e gosta de Portugal não gostou daquela merda.
Foi generalizado.
Agora vêm uns inteligentes dizer que a Proença está carregadinha de razão e que somos todos saloios.
Haja pachorra para tanta tolice.

Saltos altos