segunda-feira, 27 de julho de 2009

A gaivota


O Dornier à saída do Corvo (Foto de Rui Medeiros, do blog O Pico e os Aviões)

O Dornier da Sata deixou de voar.
Os meus pais, que viajaram apenas uma (?) vez no Dornier, chamavam-lhe a "gaivota" :)
Os corvinos tinham um carinho especial por este avião.Pudera.
Nele residia toda a esperança para poder sair e regressar, mais ou menos rapidamente, ao Corvo.
Esperamos que a nova frota seja tão boa como a que está no fim de vida.
Falo em termos de segurança (e sem nenhuma intenção de sugerir que os novos aviões não são seguros).
Mas falo em segurança porque a mim para viagens de 30 minutos privilegio muito menos essa coisa do conforto que a Sata insiste em sublinhar. (Conforto queria eu nas viagens mais longas e não o tenho.Nem sítio para as pernas muitas vezes !?)
Estão preocupados em calar os que duvidam dos novos aviões? Querem convencê-los de uma vez por todas que foi a escolha acertada?
Têm todo o direito, mas não insistam nesta história do conforto. No caso dos Açores, onde temos necessidade de voar com frequência debaixo de todas as condições, essa historiazinha do "mais conforto" é o que menos interessa.

1 comentário:

Luís disse...

É verdade... tenho a certeza que este era o avião mais adequado para o Corvo, e vai deixar saudades.
Estes Dash Q200 não parecem maus, mas há dúvidas a pairar no ar:
- Quando ele não conseguir entrar no Faial ou nas Flores, será que vai vir ao Corvo, ou vai cancelar, uma vez que por segurança não pode aterrar com mais de meia lotação no Corvo?!?
- Será que este avião vai aterrar no corvo com o piso bem alagado?

São dúvidas que só o futuro esclarecerá, a começar por hoje, onde irá realizar a sua priemira viagem ao Corvo!