terça-feira, 16 de junho de 2009

Brinquedos


F-22

F-35

O Bloco de Esquerda não quer os F-22 e os F-35 em manobras nos Açores.
Pelo que ouço e leio, o resto da Assembleia Regional nao se importa muito.
Pelo que percebi até todos dizem que pode dar umas contrapartidas jeitosas.
Até o PCP !? Também tu Aníbal? A tua luta com a Zuraida vai até ao ponto de te aliares aos imperialistas norte-americanos? :)
Quem falou com mais juízo foi o deputado do PPM do Corvo.
Ele lá sabe de onde lhe vêm os votos.
Lá para longe, disse ele.
Se não vierem para perto das Flores e do Corvo tudo bem.
Perto das minhas ilhas é que não.
Nada de muito surpreendente afinal.
Também ninguém parece interessado em ter uma lixeira ou cadeia à porta de casa.
Por que raio é que alguém haveria de querer ter estes aviõezinhos de combate em exercícios nos "seus" céus?

5 comentários:

Tiago R. disse...

Há de se informar melhor, caro Fiat.

Experimente ler isto: http://politica-dura.blogspot.com/2009/06/tudo-ja-nada-depois.html

(passe a auto-promoção.)

Aníbal Pires disse...

Meu caro,
A minha aliança é com o povo açoriano e a minha luta é por uma sociedade de paz, tolerante e mais justa.
Não mantenho lutas pessoais nem disputas personalizadas.
Quanto ao voto de protesto do BE ele foi despropositado, tendo em consideração a figura regimental utilizada mas, também despropositada quanto ao objectivo até porque esquece a defesa dos interesses da Região e, muito concretamente,os trabalhadores das FEUZA-Açores.
Isto, para além de nada estar decidido.
Importa sobre este assunto esclarecer, informar e acompanhar, quer na Assembleia da República, quer nos órgãos de governo próprio da Região, ou seja, tudo tem estado a ser feito nas "costas" do povo e dos seus representantes.
A estratégia e posicionamento redutor do BE sobre esta questão, para além do que já referi, levaram a que a Representação Parlamentar do PCP Açores adoptasse uma posição de abstenção.

Com os melhores cumprimentos e consideração,

Aníbal Pires

ZEZE disse...

Contrapartidas? Quais? Acho que vamos é pagar para ver estes aviões a exercitarem-se nos nossos céus. Certamente isto fará parte da campanha promocional dos Açores tendo em conta a construção do cais de cruzeiro em Angra do Heroismo...

Tiago R. disse...

Sem (espessas) contrapartidas é que isto não pode ser aceite de certeza!

pisca de gente disse...

Convém talvez perceber que antes do sim religioso em nome do cheiro do dinheiro, há estudos que ainda não foram feitos (ou se foram, não são ainda do domínio público) e que há gente a morar e a trabalhar nas Lajes e na Praia da Vitória que podem ver a sua vida estragada por causas desses brinquedos de guerra.