segunda-feira, 1 de junho de 2009

No Dia dos Açores


Pedro Sousa, AzoresAirPhotos.com

Frequentemente, há quem se refira à noção (visual) de arquipélago, afirmando, com razão, que é nas ilhas do triângulo que essa noção é mais marcante.
Esta espectacular fotografia de Pedro Sousa é uma prova eloquente dessa tese arquipelágica :)
A maioria dos açorianos (micaelenses) passa os dias sem ver nenhuma ilha, a não ser a sua.
(Só a ilha de Santa Maria se avista de S.Miguel (da costa Sul), e apenas em alguns dias.)
Isso ajuda certamente a explicar o facto de se referirem às outras ilhas como as ilhas...como se vivessem num continente. Percebo que muita gente o faça, por essa falta de noção de arquipélago, e não por qualquer sentido de superioridade tola sobre os açorianos das outras ilhas.

12 comentários:

Anónimo disse...

É por passarem muito tempo a olhar as outras que algumas ilhas não passam da cepa torta. Em S. Miguel, apesar de não as avistarmos fisicamente, temo permanentemente as outras ilhas à vista, a reivindicar muito e a fazer pouco ou nada.
Ainda o outro dia uma delegação da embaixada polaca deslocou-se ao Faial para demonstrar o interesse daquele país em estabelecer uma rota com destino aos Açores. Na plateia estavam ... meia dúzia de jornalistas. Lamentável. Simplesmente DEPLORÁVEL!
Estão habituados a viver à sombra do parlamento, como S.Maria estava à sombra do aeroporto. Depois foi o que se viu.

Anónimo disse...

That´s right!

geocrusoe disse...

A sensação arquipelágica tão forte no triângulo desenvolve o espírito de vizinhança (no bom e mau sentido), cria uma ideia de proximidade e apaga a solidão filha da distância de uma ilha cercada por um oceano que parece infinito.

nanda disse...

A Terceira também está um pouco distanciada da Graciosa. Nunca ouvi os terceirenses dizer "as ilhas".

Menina da Rádio disse...

Gosto mais da expressão "ilhas de baixo"!

Anónimo disse...

São Miguel está ainda mais distanciada da Tercheira e já há quem tenha fotografado a capital desde a Serra de Santa Bárbara. A obcessão é tão grande que até já têm alucinações!

Maninha disse...

fiat, tás a extrapolar e a dar demasiada importância a um mero deslize linguístico...igual a tantos outros :)

Pedro Lopes disse...

Caro Fiat Lux,

concordo no essencial com o seu post.

Vivendo em S. Miguel, mas tendo uma enorme paixão por todas as ilhas que compõem os nosso Açores, tenho pena de não poder avistar mais vezes a nossa vizinha ilha de Santa Maria.

E, como se deve recordar (pois sei que leu um post que escrevi lá no "máquina de lavar", e o comentou), no final do Verão passado, depois de umas semanas de férias passadas no Pico, escrevi um texto/ post que dava disso conta - que no grupo central a sensação de arquipélago é mais forte.

Cumprimentos.....e bonita foto.

Anónimo disse...

Quer ver Santa Maria todos os dias?
Passe pela Povoação, zonas altas.

Anónimo disse...

Algumas das ilhas na foto serà a de Fernando Pessoa?
O correspondente da RTP no Brasil refere-se sempre a uma ilha Fernando Pessoa ao invès de Fernando de Noronha. E ainda ando eu a descontar para pagar esses ignorantes...

Jordão disse...

Apoiado!
Bairrismo q.b. é saudável (como tudo na vida) mais do que isso passa a ser doentio!

A ilha dentro de mim disse...

Fiat,

Foi Nemésio, pai da açorianidade, quem escreveu que é nas ilhas do Triângulo que a noção de arquipélago melhor se sente.

E não tenho dúvidas que de viver numa ilha é, de facto, muito menos solitário se percebermos que há outros como nós ali ao lado, independentemente do seu tamanho.

Caro primeiro Anónimo,

Se o evento a que se refere era só para jornalistas e estavam lá meia dúzia, provavelmente representavam todos os meios de comunicação da ilha. Isso só é deplorável se considerar que deviam estar tb jornalistas de outras ilhas. Mas esses só lá costumam estar quando o Governo paga a deslocação ou há sessões plenárias. É, que infelizmente, os orgãos de comunicação social açorianos não nadam em dinheiro (pelo menos, que eu saiba) e as viagens inter-ilhas estão pela hora da morte.

Saudações,
LB