domingo, 15 de março de 2009

Coito interrompido


A educação sexual «é perigosa para a sociedade portuguesa».
É o movimento Portugal Pró-Vida que o diz.
Bom bom é não haver educaçao sexual.
Os jovens continuarem a ignorar os perigos de determinados comportamentos de risco.
As jovens continuarem a engravidar precocemente.
Não havendo educaçao sexual, segundo este movimento, haverá mais "educação".
A educação sexual afinal é falta de "educação".
Com educação sexual corre-se o perigo dos jovens quererem pôr em prática os seus conhecimentos.
E isso é naturalmente pecado.
Bom bom é continuarem ignorantes.
Com sexo, mas ignorantes.
Assim como os restantes animais, os quais, que se saiba, nunca tiveram aulas de educação sexual.
E isso não os impediu de se "relacionarem" e procriarem.
E, afinal,para que é o sexo se não para procriar ?

4 comentários:

Tiago R. disse...

Tendo em conta os riscos que as relações sexuais desprotegidas implicam, bem como o aumento de doenças sexualmente transmissíveis, isso é o mesmo que apelo à irresponsabilidade. Devia ser crime! (volta Sebastião Carvalho Melo, para nos livrares destes jesuitas...)

Anónimo disse...

Caro Fiat

Acaso os nossos avós e pais não procriaram?
Foi preciso alguém os ensinar?

lol

Fiat Lux disse...

É claro que procriaram.
Alguns procriaram demais.
Mas a educação sexual é para ensinar a procriar?

Legoman disse...

A educação sexual é de extrema importância!

Imagine-se os resultados positivos que teremos na sociedade se ensinarmos convenientemente os miúdos a realizarem na perfeição o cunilingus e o felacio. Teremos cidadãos mais satisfeitos, logo mais felizes, logo menos prováveis de andarem aí a moer a cabeça à malta por falta de tratamento propício.

Os beneficios são imensos.

cumps