quarta-feira, 4 de março de 2009

Dia "F" é já amanhã; contra o crime da Fajã do Calhau : esclarecimentos

Como calculava, a minha proposta à blogosfera para um dia "F" de protesto contra o crime ambiental da Fajã do Calhau foi bem aceite por muitos e incompreendida por alguns.
Aproveito para responder a algumas questões que me levantaram.

1º Primeiro que tudo este "protesto" é simbólico.
Como é óbvio não vai resolver o problema de fundo.
Mas pode pelo menos levar alguns deputados daquela comissão a pensar mais um pouco e quem sabe a sensibilizá-los e a sugerir questões que eles devem colocar a quem de direito.
2º Ao que julgo este assunto já foi remetido para os tribunais.
3º Ser natural do Pico e residente em S.Miguel não me impede de defender S.Miguel.
4º Ao Tibério
compreendo as suas reticências em aderir a uma proposta de um blog de um anónimo, mas fico triste por isso. Se reparar bem nos inúmeros links que coloquei no post anterior o que não falta são pessoas e instituições bem identificadas. Com esta minha proposta pretendi apenas concentrar num dia ou dois as denúncias dispersas.Não quero ter qualquer protagonismo como é óbvio.
A questão aqui é considerar ou não aquilo como um crime ambiental. Eu considero-o e muitas mais pessoas. E se algum anónimo o considerar também esse facto não me fará mudar de opinião, como é óbvio.
5º Esta minha iniciativa nao tem qualquer cariz político. Mas é óbvio que algumas pessoas contestam aquela obra por razões politicas. E outros têm de engolir caladinhos por razões políticas. Infelizmente é assim no dia a dia, neste caso e em muitos outros.
6º A quem pede para enumerar os impactes ambientais, tem no estudo a que faço referência uma boa fonte. Acha que nao é credível? Acha que é da responsabilidade de um partido político?
7º É óbvio que o assunto deve ser abordado pela comunicação social. Acho que já foi. Também sem qualquer resultado prático.
8º A minha proposta mantem-se de pé. Quem quiser aderir faça favor. Quem não quiser paciência. Como em tudo na vida, quando não se faz nada é porque não se faz nada. Quando se faz alguma coisa podia-se fazer melhor. Acho que sim. Avancem com as vossas propostas. Façam alguma coisa. Eu apoiarei todas as propostas no sentido de denunciar aquela pouca vergonha.

5 comentários:

Tibério Dinis disse...

Ok, já percebi que não é político. O problema não é ser anónimo ou não, o problema está em saber-se se é um político que se esconde no anonimato e poderia aproveitar a blogosfera apartir de dentro.

Pelo que percebi não é político, conte com o In Concreto para o dia F.

Desculpe, mas tinha que perceber a força da iniciativa enquanto voz civica, neste caso blogosferica.

Haja Saúde

Anónimo disse...

Esta proposta tem um claro cariz politico.

Os trabalhos enumerados são, qualquer um deles, de fácil contestação. Os métodos usados nas análises feitas e sobretudo a cientificidade das conclusões.

Continuo a considerar que mais do que espalhafatos, que naturalmente trazem dividendos politicos a alguns, vamos a factos:
Quais os impactos negativos?
Quais os impactes positivos (que também os há)?

Essas é que são as questões que ainda não vi ninguém na praça pública querer discutir.

O balanço entre impactes, positivos e negativos, não depende de deputados, de partidos, de visitas de gente leiga (apesar de eleita), muito menos de votos. É técnico.

É que neste como noutros assuntos, toda a gente se arma em especialista e perito, sem perceber patavina daquilo que está a falar.

A ilha dentro de mim disse...

Conte comigo. Nunca é demais erguer a voz em defesa do ambiente que desejamos.

Kassette disse...

cmg também!

nanda disse...

Ilhas do mar está presente